sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Amor próprio



A gente fala de amor.
Ouve, respira, lê
O tempo todo, em todo lugar.
Enxerga cor
Num mundo antes P&B
Brinca com degradê
Até se cansar

A gente sente amor
Pela pessoa que vem vindo
Só para fazer o mundo mais lindo
Pelos pais, irmãos, animais de estimação.

E por você, primeira pessoa do singular não conjugada, nada?

Nem uma lembrancinha importada? Personalizada?

Um carinho, um presentinho?
Um novo vestido?
Ou apenas palavras sem sentido,
Ao pé do próprio ouvido?

Ser indiferente ao reflexo do espelho
Machuca que a gente nem percebe
Então a gente bebe
E se dá conta que deixar o outro de lado não é errado
Quando se está do lado oposto
No posto de rejeitado
Se dissolvendo em desgosto


3 comentários:

Filósofo de Merda disse... [Responder comentário]

Um beijo...

CYWMARA WADISQUY disse... [Responder comentário]

VIXI... para querer amor, precisa-se AMAR-SE PRIMEIRO, E DEPOIS AMAR O OUTRO... assim como o dia vem a seguir a noite...A FELICIDADE NASCE :D

XEROOO LINDAAA

cywmara.blogspot.com

Ana Andreolli disse... [Responder comentário]

pri, vc disse tudo numa leveza sentida.